Por que aves migratórias merecem seu dia - 2 vezes ao ano!

Quem nunca pensou em deixar todas as dificuldades para trás e embarcar em uma viagem para um lugar ensolarado, aconchegante, cheio de características diferentes daquilo que você está acostumado na sua cidade? Por que não ainda, enfrentar essa jornada junto com mais companheiros para te dar aquele suporte durante a viagem, aproveitando para dar paradas estratégicas durante o trajeto? Ou quem sabe até encontrar um(a) parceiro(a) e desfrutar desse novo lugar na companhia de alguém que compartilha dos mesmos interesses que você?

Acredite ou não tem muito bichinho por aí que faz esse tipo de aventura todos os anos. Ao redor do mundo inteiro diversas espécies se deslocam enormes distâncias para ir a locais apropriados para de reproduzirem e/ou se alimentarem. Exemplos de jornadas épicas e emoções que qualquer viciado em aventuras daria tudo para poder fazer não são incomuns na vida desses seres, muitas vezes minúsculos. Muito embora diversos grupos de animais, como peixes, borboletas e até mesmo mamíferos, realizem movimentos migratórios, as aves levaram esse fenômeno ao extremo.

Um ótimo exemplo são os maçaricos - todo mundo que mora ou costuma passar férias na praia já deve ter visto um deles andado na areia correndo atrás de algum caranguejinho com suas pernas finas e muito ágeis. Maçaricos e batuíras formam um grupo de aves que geralmente habitam regiões costeiras e incluem diversas espécies migratórias. O maçarico-de-papo-vermelho, por exemplo, reproduz no verão da tundra canadense e migra assim que a estação fria começa a se aproximar para a Terra do Fogo, na Argentina. No caminho faz paradas estratégicas de reabastecimento em diferentes pontos da costa do Brasil, especialmente na costa do Pará e do Rio Grande do Sul. Ida e volta, anualmente o maçarico-de-papo-vermelho percorre inacreditáveis 29.000 km. Por vezes vemos nas paradisíacas praias de Trancoso grupos dessas aves incríveis andando na areia branca ao sabor da brisa e do sol sempre brilhante do extremo sul da Bahia. Espertos não?

Mas para muito além dessas viagens épicas, ao migrarem de uma região a outra, as aves literalmente conectam diferentes cantos do planeta, esse fato possui importantes consequências para os ecossistemas, muitas das quais afetam diretamente as pessoas. Apesar da sua importância as aves migratórias precisam enfrentar ameaças causadas pelo homem que estão se tornando obstáculos quase intransponíveis em suas jornadas. Problemas que vão da caça às mudanças climáticas globais têm levado nos últimos anos a uma redução drástica das populações de muitas espécies, muitas das quais atualmente são consideradas seriamente ameaçadas de extinção, como o próprio maçarico-de-papo-vermelho.

Para chamar a atenção das pessoas para a importância do fenômeno da migração das aves foi designado o Dia Mundial das Aves Migratórias que é celebrado anualmente em duas datas, no segundo sábado de Maio e no segundo sábado de Outubro, que são as principais épocas de migração das aves. Esses eventos possuem página na internet onde são destacadas atividades programadas para ocorrer em todo mundo durante a data. Além de participar de alguma atividade, você pode ajudar as aves migratórias de diversas maneiras, entre elas apoiando iniciativas que busquem proteger as aves e seus habitats ou mesmo se informando mais e compartilhando informações que sensibilizem e estimulem outras pessoas a cuidarem de um dos fenômenos mais fantásticos do reino animal.

Luciano Lima e Peu Lage